Artigos

Retenção de líquidos

  

Sensações de desabamento da existência e princípios de abandono. Vamos entender suas implicações?

E quando o inchaço deforma o corpo, aumenta o peso e atrapalha as atividades do dia a dia? Muitas são as pessoas que convivem diariamente com a retenção de líquidos, ou já passaram por este sintoma em algum momento, seja ele afetando o corpo como um todo ou determinadas partes. 

Devido ao edema, que aparece pelo extravasamento de líquido no tecido subcutâneo, ocorrem marcas de pressão aparentes no uso de meias, sapatos ou mesmo pela pressão dos próprios dedos da mão, sobre o local. 

O que muitas pessoas não sabem é que há situações emocionais que podem levar a este processo de edema local ou generalizado. Que ocorre automaticamente enquanto a pessoa está vivendo a situação específica. 

Dentro dos estudos do Dr. Hamer, da Nova Medicina Germânica, foi observado que este processo de alteração dos líquidos corporais, vem de uma alteração no funcionamento dos canais coletores do rim, que iniciam um processo de disfunção a partir de situações relacionadas a sensações de desabamento da existência e princípios de abandono.

O conceito de desabamento da existência está relacionado diretamente a uma sensação de conflito existencial, onde a pessoa se sente um “peixe fora d’água”, muitas vezes relacionado a um medo sobre a vida, por exemplo, em um diagnóstico de uma doença grave, ou mesmo uma hospitalização, onde não se encontra o diagnóstico, neste momento muitas vezes relacionado a uma sensação de abandono, dentro do hospital. Pode estar relacionado também à sensação de que eu perdi tudo, onde houve um temporal que destruiu toda minha casa, uma enchente levou todos os meus pertences, uma falência, em que a pessoa tem que se desfazer de tudo, ou um divórcio, onde a pessoa tem que deixar seus bens e seus filhos para trás. 

Outro sentido de conflito sobre os canais coletores é a sensação de abandono, ser rejeitado, deixado de lado, excluído de um grupo, não se sentir pertencente a uma família, a mãe que sente que os filhos não vão mais lhe visitar, ser deixado em um asilo, não se sentir amado. Esta sensação de abandono é muito presente também nas crianças que têm que ficar isoladas na UTI, causando mais dificuldades na recuperação de suas doenças ou mesmo em adultos deixados na UTI, se sentindo abandonados, por este motivo, muitos deles acabam apresentando inchaços e deficiências no funcionamento renal. 

E temos também dentro dos canais coletores do rim, o contexto do “conflito do refugiado”, que consiste na sensação de exílio, devido a situações de mudanças inesperadas, onde a pessoa vai para lugares em que tem que se afastar de familiares e amigos, isto acontecia muito com mulheres obrigadas a casar e morar com a família de um parceiro indesejado, ou pessoas que mudavam de estado ou países e se sentiam fora das suas raízes, fora da sua língua, tendo que deixar tudo para trás. 

Estes conflitos são muitos frequentes para todos os humanos, principalmente aos brasileiros, devido a nossos antepassados terem vivido muito destes contextos de mudança de países, exílio, ficarem longe de familiares, isto trouxe a propensão a termos estes sintomas, pois já trazemos estas situações inscritas em nossos DNAs, bastando passarmos por pequenas situações destas, como em um parto no qual a criança é levada para longe da mãe, filhos que são rejeitados na gravidez ou ao nascer, começar a ir para o colégio sem entender o que isto significa, mudanças na pequena infância, ficando longe de amigos e familiares, amigos que após desentendimentos, se afastam, exclusões na mudança de colégios, para alguns ao irem para a faculdade, saindo da casa dos pais, rejeições de um relacionamento, para os pais, também, os filhos que saem de casa, a família que se rompe após heranças, marido ou esposa que falece, entre muitas outras possibilidades de situações. 

Quanto ao local onde há o edema, está diretamente relacionada a situação vivenciada, como por exemplo, se o edema é nos lábios, pode estar relacionado a um abandono perante uma pessoa que eu beijei, se nos olhos, perante a alguém que presenciei visualmente partindo ou falecida, nos tornozelos, perante a alguma direção (pois são os tornozelos que movem para tomarmos direções e escolhas), que tive que tomar, que me levou a um lugar onde me senti isolado, ou me senti um peixe fora d’água, como no caso de agricultores, que são forçados a ir morar na cidade, após aposentar, sendo que o sítio era sua vida, ou mesmo, pessoas que são forçadas a pararem de trabalhar, sendo que o trabalho era sua única fonte de interação com outras pessoas. 

Pelo fato de cada região do corpo ter um sentido específico relacionado ao edema, precisa-se analisar caso por caso, pessoa por pessoa, pois cada um pode viver situações diferentes que podem causar o sintoma em diferentes locais, mas é devido à percepção que a fragilidade é desencadeada em cada local específico, e quanto mais forte é a situação traumática, mais intensa é a reação causada no corpo, como no caso de uma pessoa hospitalizada, com diagnóstico terminal, não tendo a visita de seus próximos, isto tende a provocar uma grande insuficiência renal, direcionando a uma propensão mais rápida a morte. Por isto, o acolhimento da família é tão importante neste momento, para diminuir a intensidade do inchaço. 

Quer entender um pouco mais sobre o que significa as relações de percepção do trauma, com os sintomas que são acometidos de forma diferente? Então assista a este vídeo sobre a “percepção sobre o trauma” no meu canal do youtube, e compreenda mais a fundo sobre este princípios das leis biológicas. 

O assunto do artigo de hoje foi sobre uma pergunta que me fizeram no meu canal do Youtube e na minha fanpage do Facebook. Quer também ter sua pergunta respondida através de artigo ou vídeo? Então me envie suas dúvidas pelo canal do Facebook ou Youtube, que terei prazer em responder, pois sua dúvida pode ser a mesma de outras pessoas, e assim aprendemos todos juntos. 

 

Dr. Ivan Bonaldo

Crefito 8/99696-F

Idealizador do Congresso Internacional das Leis Biológicas

htttp://www.leisbiologicas.com